Processo para sobrevivência de negócios em meio a pandemia da Covid-19

Num cenário onde a tecnologia da informação se torna cada vez mais protagonista nos processos produtivos e estratégicos, a percepção de que a TI (Tecnologia da Informação) não é somente uma área de apoio ao negócio, mas sim uma fonte de vantagem competitiva, é cada vez mais evidente (RODRIGUES, 2017, p 12). Essa percepção foi experimentada e implementada nas organizações que a implementaram durante a pandemia da Covid-19.

 

Em 7 de janeiro de 2020, as autoridades chinesas confirmaram que haviam identificado um novo tipo de vírus a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 30/01/2020, a OMS declarou que o surto do novo coronavírus constituia uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) – o mais alto nível de alerta da Organização, conforme previsto no Regulamento Sanitário Internacional (OPAS, 2022). Desde então o mundo viu-se em meio a pandemia que viera a mudar nosso modo de vida. 

 

No que se trata do Brasil, este trabalho discutirá a Transformação Digital como processo de sobrevivência de negócios em meio a pandemia do Coronavírus. “A transformação digital é o processo de substituir completamente formas manuais, tradicionais e legadas de fazer negócios pelas mais recentes alternativas digitais. Esse tipo de reinvenção toca todos os aspectos de um negócio, não apenas a tecnologia” (HPE, 2022).

 

Com as restrições impostas em detrimento da Covid-19, todas as organizações que mantinham seus processos em formato físico e “rudimentar” frente a acessibilidade oferecida pelo digital, foram impactadas e necessitam transformar para sobreviver. Essa transformação ocorreu desde a digitalização, elaboração e implementação de processos tais como no setor financeiro com o PIX, no alimentício com as plataformas de delivery, no educacional com o streaming e as salas virtuais, na indústria com turnos alternados e a maior robotização (mesmo que parcial) de processos antes manuais.

 

Não apenas o terceiro e o segundo setor, mas o primeiro setor também passou por sua transição, com a Lei federal n.º 14.129, de 29 de março de 2021 (Lei do Governo Digital) que dispõe sobre princípios, regras e instrumentos para o Governo Digital e para o aumento da eficiência pública, instituindo, por exemplo, o portal único “gov.br” dispondo regras de unificação dos canais digitais do Governo Federal.

 

Portanto, as organizações que não perceberam e buscaram a Transformação Digital como instrumento de sobrevivência dos negócios frente a Covid-19 sofreram ou mesmo findaram, conforme dados divulgados em fevereiro pelo Ministério da Economia, onde apontaram o fechamento de mais de 1,410 milhão de negócios formais em 2021 (NADER, 2021). O contrário das que processaram e implementaram o digital.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

HPE – Hewlett Packard Enterprise. O que é Transformação Digital?. <https://www.hpe.com/br/pt/about.html>. Pesquisa em 24/04/2022.

 

Lei federal nº 14.129, de 29 de março de 2021. Governança Digital. Estratégia de Governo Digital. Pesquisa em 24/04/2022.

 

NADER, Danielle. Cerca de 600 mil empresas fecharam as portas durante a pandemia. <www.contabeis.com.br/noticias/48730/>. Postado em 20/09/2021.

 

OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde. Histórico da pandemia de COVID19. <paho.org/pt/covid19/historico-da-pandemia-covid-19>. Pesquisa em 24/04/2022.

 

RODRIGUES, Mauricio de Paula. Transformação Digital. Fundação Getúlio Vargas. MBA em Gestão Estratégica de TI. Rio de Janeiro-RJ. 20 de abril de 2017.

 

Deixe um comentário